Microlearning: saiba tudo sobre essa tendência na educação

O microlearning é uma das tendências que as escolas devem ficar atentas em 2022. Entenda melhor esse conceito!

Já faz um tempo que o microlearning é usado na educação corporativa de grandes empresas. É uma forma mais simples, rápida e prática de aprender sobre diversos assuntos, permitindo aplicar o conteúdo de forma quase instantânea. Agora, o microlearning também ganha espaço como metodologia principal em escolas, cursos preparatórios, cursos de idiomas e outras instituições de ensino.

O termo, traduzido do inglês, significa: micro = pequenos, learning = aprendizado. Ou seja, são pequenas doses de conhecimento e também é conhecido como ‘aprendizado em pílulas’.

Se você se interessou pelo microlearning e quer entender melhor esse conceito, as vantagens e saber como implantar na sua escola, é só continuar a leitura!

Neste artigo, você vai saber:

 

O termo microlearning se popularizou de forma muito rápida e promete ser uma grande aposta para as escolas em 2022. Indo na contramão de conteúdos extensos e cansativos, essa metodologia preza por informações objetivas e intercaladas com a prática. Isso favorece o aprendizado e vai de encontro, inclusive, com o cone do aprendizado, criado por Edgar Dale. Pois permite colocar em prática o que estamos estudando, o que faz parte do aprendizado ativo. É uma ótima forma de ensino até mesmo para o Projeto de Vida do Novo Ensino Médio, por exemplo.

👉 Saiba mais - Novo Ensino Médio 2022: saiba o que muda

Antes de tudo, é importante entender melhor o conceito de microlearning.

 

O que é o microlearning?

A palavra vem do inglês e, traduzida, significa “microaprendizado”. É uma metodologia de ensino já usada no mundo corporativo e que está conquistando espaço em instituições de ensino, como escolas, cursos de idiomas, centros de treinamentos, cursos preparatórios ou profissionalizantes e outros.

No microlearning, as explicações sobre determinados assuntos são curtas e mais objetivas. Na prática, funciona assim: uma aula em vídeo costuma ter duração de 30 minutos. Com a metodologia de microlearning, o conteúdo será dividido em vídeos menores, com duração entre 2 e 5 minutos, por exemplo. É claro que o conteúdo é personalizável, mas é importante lembrar que o objetivo principal é transformá-lo em pequenas doses de informação.

 

Quais são as vantagens desse método de ensino?

Entre as principais vantagens do microlearning, está a aprendizagem ativa. Normalmente, os alunos estudam uma determinada matéria durante um bimestre e, então, fazem uma prova para “testar” o conhecimento. Seguindo essa nova metodologia de ensino, os estudantes consomem conteúdos mais curtos – por tópicos, por exemplo – e fazem pequenos testes entre essas explicações.

É comprovado cientificamente que mesclar o conteúdo com a prática favorece a retenção da informação. Só assim o aluno, de fato, aprende determinado assunto e não apenas “decora” a matéria. E, quem está inserido no mundo da educação, sabe bem a diferença entre aprender e decorar.

Consumir os conteúdos em pílulas facilita a assimilação do tema abordado e permite aprender assuntos específicos de forma mais rápida. Além disso, deixa o ensino muito mais leve e menos cansativo.

 

Como aplicar o microlearning na escola?

Se você é um gestor escolar ou educador e tem contato com o microlearning pela primeira vez, talvez pense que seja algo difícil de colocar em prática. Mas, na verdade, é mais simples e eficaz do que você pensa! Por isso, trouxemos um guia rápido de como você pode implantá-lo na sua instituição.

  • Crie conteúdos mais curtos

Primeiramente, seja na aula presencial ou na online, é importante que você divida o tema em tópicos. Depois, entre uma explicação e outra, faça perguntas ou brincadeiras para que os alunos interajam sobre o assunto, o que faz parte da aprendizagem ativa.

  • Aposte nos materiais complementares

Você pode recomendar a leitura de artigos, livros ou textos, vídeos, episódios de séries e filmes para complementar o aprendizado. Assim, os alunos podem ter visões diversificadas sobre o tema aprendido em sala de aula. Além disso, é uma forma prática de aplicar o microlearning no dia a dia. Também é interessante indicar palestras e webinars, por exemplo.

  • Use mais os dispositivos móveis

Não adianta indicar materiais complementares super legais, se o aluno não puder acessá-los em sala de aula, certo? Permita o uso de dispositivos móveis para que os estudantes façam pesquisas e encontrem novos conteúdos.

  • Use a gamificação na sua estratégia

Brincar com a metodologia de jogos incentiva os alunos a estudarem e interagirem com o conteúdo. Um bom exemplo é usar aplicativos como a Wakke Fun para criar desafios sobre a matéria. Para inovar ainda mais, que tal pedir para que os estudantes criem seus próprios desafios e desafiem seus colegas sobre o assunto aprendido em sala de aula?

A Wakke Fun é grátis e está disponível para Android e iOS. 😉

Saiba mais:

Guia: tudo o que você precisa saber sobre gamificação na educação!

Tecnologia em sala de aula: 5 dicas para usá-la a favor do ensino!


O microlearning e o ensino online

Combinar recursos online com presenciais é uma das grandes tendências de educação para 2022, assim como o microlearning. Juntando os dois, inclusive, você tem resultados ainda melhores na sua instituição. Isso porque o ensino híbrido favorece a diversificação de conteúdos e absorção deles pelos alunos.

Ensino híbrido ou presencial: qual modelo adotar? | Leia o conteúdo →

Com a Wakke Class, o ensino online é ainda mais interativo e engajado. A sala de aula digital da Wakke tem recursos como pontuação, recompensas e avatares como de jogos. Você consegue acompanhar, de um jeito mais próximo, o desempenho dos alunos nas matérias. Além disso, otimiza a rotina dos professores e da própria gestão escolar.

A plataforma facilita a aplicação do microlearning na sua escola. Entre os recursos, além da gamificação, está a possibilidade de deixar os materiais complementares anexos na própria videoaula. Assim, os alunos acessam todo o material de um jeito mais fácil e centralizado. É uma boa pedida até para estudar o conteúdo antes de ir para a sala de aula.

Leia também:

4 ideias para usar sala de aula digital na volta às aulas presenciais

Aulas remotas: 7 dicas para ter engajamento

 

A grande sacada de uma educação inovadora é estar atento às tendências do mercado, buscando formas de potencializar o ensino. Para isso, você não precisa abandonar as formas tradicionais, mas deve adaptá-las e inserir novos formatos e metodologias no seu dia a dia. O microlearning, por exemplo, é uma forma mais fácil de começar a inovar, já que a ideia é justamente simplificar os conteúdos.

Por falar nisso, como a sua escola lida com as novidades do mercado? Você usa a tecnologia para te ajudar na gestão e no ensino?

Wakke é especialista em tecnologias para a educação. Estamos há 12 anos trazendo soluções inovadoras para otimizar a rotina de gestores e educadores em todo o Brasil! Quer saber como podemos facilitar o seu dia a dia também? Converse com a gente!

Compartilhe agora!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no skype
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos Artigos

Sua mensagem foi enviada com Sucesso!

Fique tranquilo! A gente vai te responder rapidinho! Muito obrigado :D