Entenda a importância do planejamento escolar na sua instituição

planejamento escolar

A cada início de ano, a escola precisa se renovar para continuar atendendo às demandas das novas gerações. Gestores e corpo docente discutem metodologias, conteúdos, atividades extra-curriculares, ações, enfim, tudo o que será abordado ao longo do próximo período letivo. Esse é o momento do planejamento escolar.

Nessa hora, é importante dar atenção às oportunidades de mercado para retenção e aquisição de alunos e pensar em ações que contemplem esse objetivo. No planejamento escolar, serão estabelecidos objetivos e metas, recursos humanos, recursos materiais, parcerias etc. Além disso, é possível antecipar obstáculos e quais as formas de superá-los.

Saiba mais:
Como fazer o planejamento para a rematrícula escolar?
Como ter um planejamento financeiro eficaz na sua escola?
Replanejamento escolar: como organizar os setores no segundo semestre?

O documento é um guia para professores na construção do seus planos de aula, para que todos consigam atingir o que foi previsto com sucesso. Ele também apresenta aos pais e responsáveis o que será feito ao longo do ano para a formação intelectual e moral dos estudantes.

Leia o artigo e entenda a importância do planejamento escolar e como ele deve ser feito.

Quais são os tipos de planejamento escolar?

Planejar pode ser um ato individual ou coletivo. Essa é a premissa para a classificação de dois tipos de planejamento escolar: estratégico e participativo. Veja as diferenças entre eles e escolha o que melhor se adapta à realidade da sua escola.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico se baseia em dados quantitativos e qualitativos. A equipe colabora no momento de levantar informações, como:

  • concorrência;
  • situação financeira da escola;
  • opiniões dos clientes;
  • diferenciais;
  • investimentos.

Essas informações também podem ser obtidas com o auxílio de um software de gestão. Levando em consideração esses e outros dados, os gestores, diretor, coordenador pedagógico e secretários, entre outros membros da equipe diretiva, estabelecem objetivos e metas a serem cumpridos durante o ano letivo.

Assim, a tomada de decisão acontece de forma objetiva e o planejamento é repassado para o restante da comunidade escolar. As estratégias, geralmente, visam destacar a instituição perante a concorrência — é um pensamento empresarial.

Planejamento participativo

Esse modelo de planejamento pode ser considerado mais democrático, pois é feito com a participação de todos os integrantes da comunidade escolar, desde a equipe diretiva até professores, alunos e familiares. Todos podem apresentar pautas e votar.

Para o sucesso do planejamento, é importante que todos os envolvidos conheçam e concordem com o Projeto Político Pedagógico da escola e estejam alinhados à realidade da instituição e do seu entorno. Podem ser feitas diversas reuniões ou jornadas para se chegar ao documento final.

As vantagens dessa metodologia são:

  • construção de uma cultura de planejar coletivamente;
  • fortalecimento da democracia;
  • compartilhamento horizontal do poder de decisão.

Como fazer um bom planejamento?

O ideal para um bom planejamento é mesclar os dois tipos e pensar estrategicamente, mas também ouvir a comunidade escolar. Assim, sugerimos os seguintes passos — não necessariamente nessa ordem.

Reúna a comunidade escolar

Promova reuniões, debates e jornadas pedagógicas, e estimule a participação de professores, funcionários, alunos e responsáveis. Estabeleça uma relação de igualdade e abra espaço para que todos se manifestem.

O coordenador pedagógico pode servir como mediador do debate e anotar as sugestões. Concilie interesses e tente chegar a um consenso. Ao final do encontro, coloque em votação as propostas, para que as aprovadas entrem no plano para o ano.

O compartilhamento de experiências e opiniões enriquece o debate e torna o planejamento mais próximo da realidade da comunidade escolar. Por isso, não tenha pressa e esgote as discussões.

Com esse tipo de planejamento, os professores se sentem contemplados e engajados em fazer dar certo. Pais e alunos participam ativamente e se sentem mais integrados à escola.

Analise os dados

Verifique os planejamentos dos anos anteriores e compare-os com os dados atuais. Os objetivos e metas foram atingidos?

Procure fazer essa reflexão de forma realista e analise cada estratégia para verificar o que funcionou e o que precisa ser mudado. Cada ação leva a um resultado, você vai conseguir identificar o que causou, por exemplo, uma redução da taxa de reprovação ou da evasão escolar. Ou, ainda, por que determinada ação não diminuiu a inadimplência.

Mapeie a concorrência também. Descubra como ela está atuando e quais as estratégias que estão funcionando para os demais.

Tenha metas realizáveis

Na hora de estabelecer as metas é preciso ter em mente o que pode, de fato, ser realizado. Não adianta sonhar alto demais e nem é recomendável pensar pequeno. Aqui, mais uma vez, os dados serão importantes para indicar o que a escola consegue atingir.

As metas devem ser:

  • objetivas, com definição de ações concretas;
  • mensuráveis, para que seja possível verificá-las;
  • datadas, ou seja, com prazos estabelecidos.

Nesse caso, se a escola quiser, por exemplo, fazer um investimento, vale especificar quanto — por cento ou em valores absolutos — deverá ser economizado, como fazer isso e até quando.

Revise o plano regularmente

Como qualquer plano, esse também pode precisar de redirecionamentos ao longo do período. Por isso, preveja reuniões para revisar o planejamento periodicamente. Podem ser bimestrais ou trimestrais, com a participação de quem o elaborou.

Colha feedbacks na comunidade escolar. Eles serão muito importantes para a avaliação do que está dando certo ou errado.

Avalie se é necessário mudar alguma estratégia ou acrescentar algo que tenha faltado no início do ano. Seja flexível: melhor mudar enquanto ainda está em execução, do que após o encerramento do período.

Agora, uma última dica! Ela vale tanto para construir o planejamento escolar quanto para sua análise e revisão: a tecnologia pode ser uma grande aliada. Com o apoio de um sistema online, é possível ter todos os dados e compartilhá-los com os membros da comunidade.

Como você viu, o planejamento escolar é extremamente importante: auxilia gestores na organização administrativa, determina o calendário de atividades, guia profissionais, alunos e familiares, estabelece rotinas etc. Para os professores, é fundamental, pois torna suas aulas eficientes, dinâmicas e em consonância com o Projeto Político Pedagógico da escola.

Quer saber mais sobre como um sistema de gestão pode auxiliá-lo nessa e em outras tarefas? Leia nosso artigo sobre as vantagens de um software para instituições de ensino!

Compartilhe agora!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no skype
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Últimos Artigos

Sua mensagem foi enviada com Sucesso!

Fique tranquilo! A gente vai te responder rapidinho! Muito obrigado :D