Ensino híbrido ou presencial: qual modelo adotar?

Para saber se adotar o ensino híbrido ou presencial é a melhor opção para a sua instituição, você precisa levar em consideração alguns aspectos como público e características da escola.

A área da Educação foi uma das mais afetadas pela pandemia do covid. Por isso, em meio a tantas incertezas, uma pergunta comum é: eu devo adotar o ensino híbrido ou presencial na minha instituição? Antes de definir qual formato mais se encaixa na sua escola, é preciso entender as diferenças entre eles. Nós vamos explicar um pouco mais sobre os dois modelos de ensino e apontar algumas considerações que você deve ter.

 

Ensino híbrido ou presencial?

Antes de tudo, precisamos entender as diferenças entre os dois tipos de ensino. O ensino presencial é o modelo tradicional que conhecemos. Os alunos se deslocam até a instituição de ensino para assistirem às aulas. 

Já o ensino híbrido nada mais é do que a junção do ensino presencial com o online. Consiste no revezamento de turmas. Enquanto uma parte vai à escola, os outros acompanham às aulas remotamente, por meio do EAD.

Em resumo, a maior vantagem do ensino híbrido é atender aos dois lados. Além disso, com o período de lockdown e quarentena, é a melhor saída para manter a segurança de funcionários, professores, alunos e familiares.

 

Qual modelo eu devo adotar na minha instituição? 

Essa é a principal pergunta. Mas, para definir qual modelo de ensino é ideal para a sua instituição, você precisa levar em consideração alguns pontos. Veja a seguir o que você deve considerar:

 

Planejamento anual

O primeiro passo é ter o planejamento anual da sua instituição em mãos. Ele vai te ajudar a ter uma visão geral da quantidade de alunos que a sua escola tem. Assim como a faixa etária predominante e o orçamento disponível para fazer as adaptações necessárias. Com isso, você consegue criar um segundo planejamento, específico para a volta às aulas, de acordo com as particularidades de cada turma.

Pesquisa com os responsáveis

A segunda etapa é fazer uma pesquisa prévia com os alunos e seus responsáveis. Esse será um levantamento sobre a intenção de volta às aulas presenciais e a opinião deles sobre o ensino híbrido. Por exemplo, você pode criar um formulário online. Ou então enviar um comunicado por e-mail solicitando o posicionamento deles sobre o assunto. Como resultado, isso vai te ajudar a entender como o seu público está lidando com o cenário. Te permite ter uma visão estratégica para definir se a instituição mantém aulas totalmente online ou se é viável retomar o ensino presencial, no formato híbrido.

Divisão de turmas para o ensino híbrido ou presencial

Com essas informações principais em mãos, chegou a hora de dividir as turmas. Uma boa ideia é separar, inicialmente, por faixa etária. Em Vitória (ES), por exemplo, crianças de até 3 anos permanecem em casa. Já as crianças de 4 e 5 anos vão voltar ao ensino presencial contínuo. Por outro lado, em São Paulo (SP), as aulas estão temporariamente suspensas e o recesso foi antecipado. Isso por conta da Fase Vermelha de contaminação do coronavírus, que demandou um novo lockdown. 

De uma forma geral, o mais recomendado é que a escola adote o modelo de ensino híbrido. Ele faz o revezamento de grupos para as aulas presenciais. Enquanto isso, os demais estudantes acompanham as aulas online. No entanto, você deve estar atento aos decretos da sua região e às recomendações da Secretaria de Educação do seu Estado.

Orientação aos professores

Depois de concluir a divisão das turmas, é a hora de fazer uma reunião ou treinamento para orientar os professores sobre a retomada do ensino híbrido ou presencial. Fale sobre a transmissão de aulas ao vivo, planejamento das aulas, horários, organização do espaço e outros aspectos importantes. Se possível, disponibilize um check-list do que deve ser feito antes de começar cada aula. Também é interessante explicar como os professores podem usar gamificação e outros recursos para manter o engajamento das aulas online. Além disso, esteja aberto a ouvir sugestões e considerações dos professores!

Comunique pais e alunos sobre o ensino híbrido ou presencial

Por último, mas não menos importante, é hora de comunicar as mudanças aos alunos e seus responsáveis. Para isso, você pode enviar duas versões. O primeiro é um comunicado geral informando as medidas de segurança que serão adotadas pela instituição, como funciona o revezamento das turmas e outras considerações. E o segundo, a ser enviado quinzena ou semanalmente, deve ter a divisão dos grupos que terão aulas presenciais no período e grupos que assistirão às aulas em casa.

 

Então, levando em consideração as particularidades da sua instituição e do público que você atende, será possível determinar qual o modelo de ensino ideal. Porém, o ensino híbrido se destaca por sua versatilidade. Por mesclar os dois tipos de ensino, online e presencial, consegue agradar aos dois lados e garante a segurança de funcionários, professores, alunos e familiares. E o EAD pode, sim, ser leve e eficaz. Com a Wakke Class, por exemplo, você facilita a rotina do professor, aumenta o engajamento das aulas online e tem um controle maior sobre o desempenho de ambas as partes. Você pode testá-la gratuitamente na sua instituição. Clique aqui e saiba mais!

Compartilhe agora!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no skype
Compartilhar no google
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos Artigos

Sua mensagem foi enviada com Sucesso!

Fique tranquilo! A gente vai te responder rapidinho! Muito obrigado :D